Como Participo?


É muito fácil participar neste movimento de cidadania:

  1. No dia das eleições acorde bem disposto(a);
  2. Vá cedinho votar para evitar bichas (tome um bom pequeno-almoço e não se esqueça do cartão de eleitor, do B.I. e de não cuspir para o chão);
  3. Na intimidade e privacidade da urna de voto desenhe com gosto e arte a(s) sua(s) Pixota(s) no boletim de voto (importante: acompanhe esta acção com um sentimento de liberdade);
  4. Tire uma fotografia à sua bela Pixota desenhada no boletim de voto (para o efeito pode utilizar o seu telemóvel);
  5. No aconchego do seu lar, envie-nos a sua fotografia para votapixota@gmail.com (no assunto escreva o nome do Acto Eleitoral ao qual se refere a sua Pixota: Europeias, Autárquicas ou Deputais).
E já está!

E depois?
Depois publicaremos neste blogue As Pixotas dos portugueses.
Posteriormente, após árdua deliberação acompanhada de degustação de um bom vinho (para quem bebe álcool), por cada Acto Eleitoral Nacional, atribuiremos o Grande Prémio honorário das 10 melhores pixotas.
Entre elas talvez esteja a sua!

Participe:
A sua pixota conta!
Junte a sua pixota à nossa!
A Pixota Unida Jamais Será Vencida!



Perguntas frequentes contidas no Manifesto do grandioso Movimento Vota Pixota:


Como posso ajudar este Movimento?
Divulgue as ideias e o site pelos amigos.
Nota: ao divulgar esta iniciativa, é importante manter o respeito. Esta iniciativa não pretende ferir susceptibilidades.

De que forma posso participar neste processo?
A forma de participação consiste em, nas próximas eleições, desenhar um ou vários falos no boletim de voto.

Como devo desenhar o falo no boletim de voto?
O movimento Vota Pixota insiste na autenticidade e expressão individual de cada um, deixando ao critério de cada um esse acto de expressão. Podem ser mais simbólicos ou mais realistas. Podem ser coloridos ou a preto e branco, clássicos, progressistas, cubistas, expressionistas, impressionistas, rupestres, etc.

A pixota é uma livre expressão do indivíduo, a sua força vital. Nenhuma será melhor que outra (excepto as 10 melhores escolhidas depois de cada Acto Eleitoral).

No seguinte link encontram-se alguns exemplos de pixotas para lhe servirem de inspiração.

Que conselhos podem dar a quem pretenda votar Pixota?
Para os menos familiarizados em desenhar falos, aconselhamos a treinar e encontrar a sua expressão de pixota. Arranje algumas folhas e desenhe várias, explorando as capacidades expressivas de cada uma. No dia das eleições vá votar e demore o tempo necessário para desenhar a(s) sua(s) pixota(s), faça-o com gosto, acompanhado de um sentimento de liberdade.

10 comentários:

lybrus disse...

"Qual o programa político do Movimento Vota Pixota?
O Movimento Vota Pixota não tem qualquer programa político para além do grito de revolta pela situação política nacional."
...
Revolta contra o quê? O grito de revolta sem uma proposta alternativa é um grito nulo. Faz lembrar a birra dum pirralho mimado que chora e não sabe porquê.

O direito de exercer o não voto é um acto digno e com tanto valor quanto colocar uma cruz em qualquer uma das opções. Mas, assim, ninguém vos levarará a sério. Aliás, isto é palhaçada pegada. Compreendo que a opção palhaçada se adeque ao estado do nosso país que mais se parece com um circo, mas se querem marcar a diferença, com o não-voto, então votem em branco, pois demonstra alguma consciencia política.

Porque desenhar pixotas, é atitude de arruaceiros ou pessoas sem idade para votar e não cidadãos a querer fazer exercer os seus direitos. Uma coisa é demonstrar inconformidade, outra coisa é avacalhar. Depois, não se queixem se escolherem por vocês, ou se os futuros governantes criarem medidas do c#*alho ,pois foi nisso que votaram.

... pah isto é estúpido

Nem sei porque perdi tempo a escrever isto. Não vale a pena.

Marta disse...

Eu acho que faltam alguns esclarecimentos para pessoas que ainda não estão revoltadas contra o facto de terem de "escolher no lixo". Deviam fazer uma introdução mais séria a explicar a vossa opinião acerca do sistema como ele é actualmente e fazer ver que efeitos pode ter o movimento vota pixota se tiver sucesso.
Para quem já é da opinião que prefere votar pixota a votar num daqueles partidos adora a ideia, quem nunca pensou sobre isso e está convencido que desenhar uma pixota no boletim de voto é um insulto demasiado agressivo para com a democracia, não é por ler o que está escrito neste blog que fica a compreender o que se pretende, antes pelo contrário...

Anónimo disse...

O direito à escolha, oferecido pelo nosso sistema democrático, não será muito diferente daquele da criança que ou come a sopa ou leva um par de estalos. Votar em branco é comer a sopa, escolher um partido é levar um par de estalos. Aqui propõe-se atirar o prato ao chão e com fúria: o par de estalos é garantido mas, ao menos, marcou-se a posição.
A pior forma de opressão é aquela que apresenta a ilusão de liberdade. Acho muito bem que se avacalhe tudo isto, votos de sucesso!

Dr. Adalberto Moreira disse...

Cara concidadã Marta,

A crítica que apresenta tem o seu fundamento, contudo, deixe que lhe diga que a participação em qualquer acto eleitoral implica conhecer a fundo as causas levadas a plebiscito. O problema do estado actual das coisas é que os cidadãos divorciaram-se da política, muito por culpa dos protagonistas do sistema. A nossa informação, diz, não é suficiente, mas se lhe perguntar que informação possui sobre as diversas opções levadas às urnas, porventura saber-me-á dizer que irá votar? E com que fim?

Contudo, como este movimento não pretende excluir quem quer que seja, tomaremos a sua opinião em consideração.

Cordialmente,
Dr. Adalberto Moreira

Dr. Adalberto Moreira disse...

Caro concidadão lybrus,

O seu pensamento aparentemente está correcto, todavia, devo lembrar-lhe que a democracia faz-se da participação colectiva. O circo, como lhe chama, é a principal razão por este baixar dos braços daqueles que deveriam ser os primeiros actores deste sistema. O voto nulo é um opção, contudo, não procuramos o voto nulo sem consequência, mas uma acção concertada que obrigue que os responsáveis, de uma vez por todas e sem desculpas, tomem consciência que a democracia que representam é um bem nosso e não um privilégio seu. Isso, meu caro, só pode ser alcançado através de uma resposta concertada. O falo, aqui sob a designação popular de "pixota", é o elemento unificador, não tem partido, não é de ninguém e é de todos, faz parte da história e fez história. Esta é a opção que apresentamos. Mas, como em todas as opções democráticas, é apenas mais uma, tão válida como qualquer outra.

Cordialmente,
Dr. Adalberto Moreira

Anónimo disse...

Esta tarde o psd brindou as ruas de santa catarina (porto) com tambores que infernizaram o já pouco sossego da rua. Trabalhar foi impossível. Ora se akela corja de palermas fosse mas é trabalhar e fazer algum pelo país... O meu caralhinho no quadrado do psd é já garantido.

Anónimo disse...

caralhinho não.. pixota. isto é: falo.

Anónimo disse...

Agora foi a vez dos trolhas da cdu virem competir em barulho com os palermas do psd. Devo agora 2 caralhinhos ao meu boletim eleitoral. Fodasse... mas esta gente não trabalha?

Dr. Adalberto Moreira disse...

Caro concidadão Anónimo,

Vá desde já treinando as suas pixotas, pois só lhe restam 3 dias antes do acto eleitoral. Compre ou peça emprestado uns lápis de cor.

Cordialmente,
Dr. Adalberto Moreira

Tonibler disse...

Infelizmente não conhecia o movimento quando desenhei um grosso "bastos" no meu voto e, por isso, não tirei a respectiva foto para comprovar. Nas próximas, lá estarei!

Enviar um comentário